Brazil Connections. Conectando os brasileiros no mundo.
Tuesday, December 12, 2017
Cultura

Fordlândia. Um documentário na Amazônia

Fordlândia
624Vizualizações

Fordlândia. Um documentário na Amazônia

Muito além de Fordlândia, documentário feito na Amazônia. Produção independente que debate o avanço da soja na maior floresta tropical do mundo.

O ano de 2017 é simbólico para a Floresta Amazônica. O corte de recursos noruegueses para o combate ao desmatamento, a regulamentação duvidosa da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) e o aniversário de 90 anos da chegada de Henry Ford à selva colocam novamente uma interrogação sobre o futuro da região amazônica.

Diante de pressões políticas e econômicas enfrentadas pela Floresta, a produção Beyond Fordlândia (2017, 75 min) joga luz sobre a lacuna que conecta dois pontos críticos em sua história recente. O filme aborda a derrubada de 1 milhão de hectares de mata para o cultivo de seringueiras e a transição para a bem-sucedida monocultura da soja, que substitui enormes contingentes florestais por lucrativas commodities para o exterior.

Fordland

A produção do grão no Brasil teve início nos anos 1970, em Santa Catarina, e traçou seu caminho Brasil acima, atravessando o cerrado, o triângulo mineiro e, nos anos 2000, chegou à floresta Amazônica. Em 2006, a destruição de floresta para o plantio da soja alcançou a marca de 70 mil quilômetros quadrados.

O Brasil tornou-se, em 2017, o maior exportador do grão no mundo, abastecendo o mercado externo com 63,5 milhões de toneladas, superando os Estados Unidos. O agronegócio expande-se em velocidade exponencial, deixando um rastro de desequilíbrio ambiental e social para agentes humanos e não-humanos da floresta.

A grande questão que se coloca nesse processo é: quanto dessa riqueza repara ou desenvolve a região onde foi gerada? Subsídios fiscais concedidos pelo Governo Federal em 1996 ajudaram a consolidar o agronegócio como o motor econômico do país. Os incentivos, consolidados na Lei Kandir, isentaram a produção de grãos e minérios para exportação do Imposto sobre Circulação e Mercadorias e Serviços.

Estima-se que as perdas de estados como o Pará cheguem a R$ 35 bilhões de reais. E essas perdas lançam mais uma incógnita sobre o futuro.

O diretor e idealizador do filme, Marcos Colón, é pesquisador do Centro de Cultura, História e Meio Ambiente do Instituto Nelson de Estudos Ambientais da Universidade do Wisconsin-Madison, EUA.

A inspiração para Beyond Fordlândia surgiu em meio à sua pesquisa de doutorado, que trata da representação amazônica na literatura brasileira do século XX.

“Tive a oportunidade de visitar a parte brasileira da Amazônia, e ver de perto uma região conhecida apenas através de obras literárias. Quando li sobre a chegada de Ford em O turista aprendiz, de Mário de Andrade, meu foco foi sendo levado para aquela região. Após visitar Fordlândia e Belterra, cidades fundadas pelo empreendimento fordista, decidi que precisava contar aquelas histórias”, afirma o pesquisador.

beyondfordlandia
Uma casa típica americana, no meio de uma floresta densa, mas que dessa perspectiva, não se sente o impacto geográfico.

Um dos objetivos do filme é discutir o dano imposto à floresta, à hidrografia e ao homem amazônico, gradativamente ameaçados pelo avanço do agronegócio na região. Beyond Fordlândia reúne um vasto conjunto de análises e depoimentos de historiadores, médicos, pesquisadores, representantes das comunidades locais e pensadores da questão amazônica em face do agronegócio. A produção já recebeu prêmios no Impact Docs Awards, no 8º Cabo Verde International Film Festival e no FICMA-Barcelona, o primeiro e maior festival de cinema ambiental do mundo. Clique aqui para a agenda atualizada do filme.

O Rachel Carson Center for Environment and Society é o próximo destino do filme. A convite da instituição, o diretor Marcos Colón – professor da Universidade de Wisconsin-Madison – participará de uma exibição com debate no dia 11 de dezembro, em Munique na Alemanha, acompanhado da professora do Departamento de Espanhol e Português da UW, Kata Beilin, e do historiador da Universidade de Zurique, Antoine Acker. O encontro será mediado pelo professor Christof Mauch, diretor do Rachel Carson Center. Link para as inscrições: Clique aqui.

No dia seguinte, 12 de dezembro, o Centro de Estudos Interamericanos da Universidade de Innsbruck, na Áustria, realizará mais um evento de exibição e conversa com o diretor Colón, a convite do professor da Universidade, Martin Coy.

12 de dezembro, às 19h. Endereço: Innrain, 52e, Universität Innsbruck.

A estreia oficial de Beyond Fordlândia no Brasil aconteceu no dia 14 de novembro, no Rio de Janeiro, em sessão especial do VII Festival Filmambiente, seguida de um debate com o diretor e o médico professor Marcus Barros – uma das grandes autoridades do pensamento sobre a Amazônia.

Leia também:

Chapada dos Veadeiros

MASP completa 70 anos

Teatro Amazonas ( Manaus Opera House )

Leave a Response

Translate »
error: Content is protected !!
%d bloggers like this: